29/12/2018

Aquaman | Crítica

Quem acompanha o Cinectus já sabe que aqui não existe a rixa MARVEL x DC – a coisa está muito bem resolvida para gente:

  1. Batman: O Cavaleiro das Trevas é o melhor filme de super-herói ja feito;
  2. Stan Lee só existiu um e ele era da Marvel. Então se você é fanático pela DC, a gente só lamenta;
  3. A construção da trama e apresentação dos personagens da franquia Vingadores tem sido impecável. Coisa que a própria Marvel não conseguiu fazer com X-Men e muito menos a DC com Liga Da Justiça

Mas qual a razão dessa introdução?

Só queremos não deixar dúvidas de que a bronca que temos com alguns pontos do filme estrelado por Jason Momoa não tem nada a ver com o “universo” a que ele pertence.

Para começar, DC/Warner erraram feio ao não lançar o filme solo do herói Atlante antes de Liga Da Justiça – bastava seguir a receita de bolo de Vingadores . perderam uma chance de faturar uma boa grana, agradar aos fãs e aproveitar melhor o filme do grupo para mostrar as relações entre os heróis.

Além disso, não teriam cometido o grande pecado do filme solo do herói: os dois não conversam – salvo alguns detalhes, como o traje dourado e verde, a impressão geral é que o segundo filme se passa antes do primeiro e não o contrário. Na boa, o cara trava uma batalha épica para salvar o mundo, passa aquele perrengue quando o Super-Homem acorda/ressuscita desorientado e ninguém sabe quem ele é?

Então, mesmo curtindo muito o Aquaman “vida lôka” de Jason Momoa, passamos o filme inteiro sem saber quem veio primeiro.

Outra coisa que nos incomodou foi o fato do bom elenco com Willem Dafoe , Nicole Kidman e Patrick Wilson – principalmente o último – ser mal aproveitado. Diálogos para lá de clichê, personagens sem nuances, dualidades etc. Para interpretá-los podiam ter economizado uma boa grana de cachê e contratado atores medianos.

E Atlântida? A ideia geral em criar ao mundo subaquático foi bem bacana – mas a execução nem tanto. É daqueles casos em que o storyboard é melhor que o resultado final na tela. E os outros povos que habitam o mar com os Atlantes são fraquíssimos, estilo Jar Jar Binks de Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma.

Mas então o filme é péssimo? Não! De forma alguma, o Manta de Yahya Abdul-Mateen II é muito bom, participa de algumas das melhores cenas do filme e deveria ter tido mais espaço como o grande vilão.  E apesar do excesso de computação gráfica, algumas cenas submarinas são visualmente muito legais.

MantaNegra

E no final, o filme o cumpre de forma tardia a missão de mostrar para o público um pouco mais do herói.

Seria uma boa transcrever o sucesso de Flash da TV para tela grande.

#FicaADica DC/Warner

Nota Cinectus: 7,0

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Cinema, Criticas