Nesta série do Amazon Prime Video, Julia Roberts é Heidi, uma assistente social responsável por “Homecoming“, um centro de adaptação para jovens soldados retornando do campo de batalha e precisando de apoio para se adaptar à vida civil.

O problema é que por trás das instalações cuidadosamente preparadas podem haver surpresas desagradáveis para os militares.

Uma série com esta trama, dirigida por Sam Esmail – do excelente Mr. Robot – e protagonizada pela eterna Pretty Woman a gente não iria deixar passar batida. Então conferimos e após 10 episódios podemos recomendar sem medo para a galera que curte o Cinectus.

Não que tenha superado nossas expectativas, na verdade alguns detalhes até decepcionaram, mas o formato enxuto dos episódios (30 min.) e o suspense sobre o que realmente acontece no lugar, prendem você até o final.

E já que os episódios são rápidos, vamos direto ao ponto:

37-512

Curtimos

Bobby Cannavale e Shea Whigham – perfeitos em seus papéis. O insuportável Colin e o atrapalhado Carrasco protagonizam algumas das melhores cenas da série;

Stephan James – contracena a maior parte do tempo com Julia Roberts sem ser “engolido” pela estrela, atuação competente;

O roteiro é engenhoso e apesar do ritmo um lento inicial, engrena a partir do 7º episódio de forma surpreendente. Aquele “-Putz! Então é isso!” que todo thriller que se preze tem que ter;

O final de cada episódio tem uma sacada bem bacana do diretor –  surgem os créditos mas ao invés do tradicional fundo preto, o foco sai dos atores para uma plano de câmera mais amplo e deixa a sensação que o espectador está assistindo a cena de longe;

A descrição de cada episódio no app ao invés de dar pistas sobre o que acontece, um spoiler que muitas séries dão, em “Homecoming” faz as vezes de uma brochura do local, em uma ironia bacana sobre o que realmente acontece lá.

thumbs-k-down-512

Não Curtimos

Dermot Mulroney – Justiça seja feita: o personagem Anthony é ruim e pouco acrescenta à trama, mas o ator também não se esforçou. Lembra Laurence Fishburne em Passageiros (2016)

A trilha sonora exagerada – é bacana até o segundo episódio, mas depois que a música sobe no melhor estilo Hitchcock e nada acontece, perde a graça como em um filme de suspense antigo.

MV5BMTEzNTUyNjQ1MzdeQTJeQWpwZ15BbWU4MDMzNzQ1NjYz._V1_SX1500_CR0,0,1500,999_AL_

No final, mesmo que não seja uma das melhores atuações de Julia Roberts a série vale o nosso tempo e se não houver segunda temporada, já contou uma boa estória – com início, meio e fim.

Nota Cinectus 7,5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Criticas, TV & Series