O primeiro filme da agora franquia Jumanji (1995) tinha no elenco o saudoso Robin Williams , Bonnie Hunt e Kirsten Dunst – a época uma atriz-mirim. Mesmo não tendo se tornado um clássico, impressionava pela qualidade dos efeitos especiais e tinha algum apelo dramático pela relação difícil do protagonista com seu pai. E se o primeiro era um filme para pais e filhos pequenos, este deve atrair mais os adolescentes.

Neste segundo capítulo, o foco é na ação quase ininterrupta e nas tiradas cômicas do trio Dwayne Johnson , Jack Black e Kevin Hart

Os personagens são clichês e o roteiro para lá de manjado, com quase nenhuma conexão com o primeiro filme. Mesmo assim garante uma ou duas sequências de ação interessantes e algumas boas risadas. Neste caso, mérito total de Jack Black, que como o trailer já faz questão de dar o spoiler, manda muito bem interpretando a patricinha Bethany.

No elenco ainda Rhys Darby (o hilário chefe de Jim Carey em Sim Senhor (2008) ), Karen Gillan (a Nebula de Guardiões da Galáxia Vol. 2 [Crítica] ) e o cantor/ator Nick Jonas .

E respondendo as duas perguntas clássicas sobre este tipo de filme:

É claro que não é melhor que o primeiro e

Sim, mesmo assim vale um conferida despretensiosa no cinema.

Nota Cinectus: 7.0

Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. […] o grande pecado é ausência de uma “escada” para o ator. Falta o Jack Black de Jumanji ou o Will Ferrell de O Durão . Os personagens Doug e Jimmy simplesmente não possuem química […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Sobre cinectus

Conta de Administrador do site cinectus

CATEGORIA

Cinema, Criticas