Não há muito o que falar sobre a estória que Michael Bay conta neste filme. É uma mistura confusa de O Código Da Vinci e Independence Day. Depois de mais de uma hora explicando como a raça humana e os Transformers estão ligados há séculos através da nossa história, chega a hora do apocalipse Alien que vai destruir a Terra. Resultado: uma trama de 2h30min. que não empolga.

Quanto ao elenco, todos cumprem seu papel com dignidade, o problema é que não há muito o que possam fazer. A culpa nao e de Mark Wahlberg, Josh Duhamel, Anthony Hopkins ou  Laura Hoddock (a mae do StarLord em Guardiões da Galáxia Vol. 2 [Crítica]). O roteiro é muito fraco mesmo.

O único personagem com quem você consegue estabelecer alguma conexão ao longo do filme é o Bumblebee. As melhores cenas de ação, as melhores piadas e o momento “bromance” são com o carismático Camaro amarelo.


Dito isso, vamos ao que realmente interessa na franquia: efeitos especiais e toda a tecnologia embarcada no longa.

O resultado é impressionante. Você se esquece que metade do elenco não existe fora dos computadores, pela forma como a interação é totalmente fluida, sem cortes ou planos fechados para ocultar as imperfeições. E com exceção da confusa batalha final, as cenas de ação são muito boas.

E tem o 3D IMAX, a experiência que todo filme de ação deveria entregar aos espectadores. Imagem e som impressionantes, muito superior ao que estamos acostumados e que aumenta muito a sensação de imersão no filme.

E aí está o verdadeiro mérito do diretor, que vem trabalhando a tecnologia há bastante tempo. Muito criticado por fazer filmes “comercias”, Michael Bay vai deixar como legado não apenas cifras de box office, mas também um padrão de como empregar tecnologia em filmes de acao.

No canal do YouTube do IMAX, ha mais conteudo sobre a tecnologia empregada no filme.

 

Nota Cinectus: 6,5 (em uma sala IMAX merece 7,0)

Anúncios

Participe da conversa! 2 comentários

  1. […] “Transformers: O Último Cavaleiro“ […]

    Curtir

    Responder
  2. […] elenco Michelle Williams (Manchester à Beira-Mar (2016) [Crítica]), Mark Wahlberg ( Transformers: O último cavaleiro (2017) – IMAX) e do grande Christopher Plummer (que manda muito bem desde A Noviça Rebelde (1965)). A […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Cinema