A vida dos cinéfilos fãs das HQs do X-Men não tem sido fácil. Desde X-Men: O Filme (2000) até X-Men: Apocalipse (2016) foram seis filmes do grupo de heróis e dois exclusivos de Wolverine (Hugh Jackman). E somente após 17 anos o público o verá nos cinemas como os fãs de quadrinhos já o conhecem.

Felizmente a espera valeu à pena!

O filme se baseia na HQ “Velho Logan“, onde ele está perdendo seus poderes de cura e os mutantes praticamente não existem mais. Ao lado de Charles Xavier (Patrick Stewart) – que também está muito doente e já não é mais o poderoso Professor X de outrora  e de Caliban (Stephen Merchant) mutante que tem o poder de rastrear e achar qualquer pessoa, vivem isolados em algum lugar na fronteira entre o México e os EUA. Alerta de Spolier: No filme não existe muro entre os dois países.

Mesmo fragilizado, o Professor X possui o “cérebro que é uma arma de destruição em massa” e com seus poderes telepáticos faz contato com a menina Laura (Dafne Keen a mutante X-23). Ela é perseguida pelo grupo paramilitar liderado pelo ciborgue Donald Pierce (Boyd Holbrook, o Jeff de Garota Exemplar (2014) [Review]). A empatia entre Logan e Laura é grande e ao ver a menina ameaçada, nosso herói parte para briga.

E faz isso no seu melhor estilo. As sequências de luta são brutais e muito bem coreografadas. Ao tentar levar Laura e Charles para um refúgio do outro lado dos EUA, o filme se torna um road movie onde a relação de pai e filho entre os protagonistas e as belíssimas paisagens são explorados de forma criativa e sensível pelo diretor James Mangold, (de Johnny & June – biografia do cantor country Johnny Cash).

O filme é sem dúvida o melhor do universo X-Men. Os personagens são consistentes com a HQ e bem interpretados pelos atores. Dafne Keen é uma grata surpresa pois transmite os sentimentos da frágil e ao mesmo tempo violenta Laura, somente com um gesto ou olhar.

O único senão do filme é a ausência de um grande vilão. Donald Pierce é um personagem menor que já deveria ter aparecido em X-Men: Primeira Classe como ajudante de Sebastian Shaw (Kevin Bacon). A despedida de Jackman merecia um rival à altura.

De qualquer forma, o filme vale cada centavo pago pelo ingresso e suas mais de 2 horas passam rápido. Ao final fica a certeza de ter visto um ótimo filme adaptado de HQ e a esperança de que os próximos filmes da franquia sigam esta fórmula.

Nota Cinectus: 8,5

Alerta de Spolier: Diferentemente de outros filmes da Marvel, não precisa ficar esperando uma cena após créditos, a galera do Cinectus já fez isso por você e não há nenhuma.

Old Man Logan

Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. […] “Logan” (Scott Frank, James Mangold e Michael Green) […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Sobre cinectus

Conta de Administrador do site cinectus

CATEGORIA

Cinema, Criticas