A Amazon vem apostando sério no conteúdo próprio para competir não apenas com Netflix como também com os tradicionais estúdios de Hollywood. Se não bastasse o sucesso de Manchester à Beira-Mar (2016) [Crítica], o time de Jeff Bezos trouxe para as telas a adaptação do best seller homônimo de Philip K. Dick, que nos mostra uma realidade alternativa onde o Eixo venceu a 2ª Guerra Mundial.

mv5bmtk3mduzntcwov5bml5banbnxkftztgwnjaxotq4ote-_v1_

Como o acaso não existe, o produtor da série é ninguém menos que Ridley Scott,  que já adaptou outra obra de Dick “Do Androids Dream of Electric Sheep“, que a galera ligada no Cinectus está cansada de saber que deu origem à agora franquia Blade Runner 2049 [Trailer] [News]Spoiler: A presença de um japonês fazendo origami, não é casual.

A produção da série é impecável. Uma atenção aos detalhes mais sutis de um hipotético melting pot americano-japonês-alemão impressionam. A Berlin retratada nos últimos  episódios da segunda temporada lembra a Roma da versão original de Ben-Hur (2016) [Crítica].

Quanto ao elenco, se destacam Rufus Sewell (Obergruppenführer John Smith – líder do Reich no EUA), Joel de la Fuente (Inspetor Kido, da polícia japonesa) Cary-Hiroyuki Tagawa (Ministro Tagomi) e Alexa Davalos, que interpreta a heroína Juliana Crain. Rufus Sewell e Cary-Hiroyuki Tagawa roubam a cena em algumas tomadas passando toda a emoção do personagem apenas com a expressão facial.

O detalhe negativo é a narrativa lenta dos primeiros episódios, mas nada que um pouco de paciência e o uso do botão de avançar 10s do app do Amazon Prime não resolvam. Dica: a sonífera abertura dura intermináveis 95s – depois que assistir a primeira vez, basta clicar 9x e Edelweiss vai cantar em outra freguesia.

Por falar no app, este funciona muito bem na reprodução linear e ao retomar a partir de um ponto. O serviço custa US$2,99/mês pelos primeiros 6 meses e possui a desvantagem de parte do conteúdo estar disponível apenas com legendas em inglês. Mesmo assim, dado o baixo valor e a ausência de fidelização, vale experimentar.

Reserve um pouco de tempo para esta série – ela vale a pena!

Nota: 8,5

O Homem do Castelo Alto

Anúncios

Participe da conversa! 2 comentários

  1. […] de Andróides (1982) tem lugar cativo em nosso coração. Não é por acaso que já recomendamos The Man In The High Castle série da Amazon também inspirada em livro de Philip K. […]

    Curtir

    Responder
  2. […] a primeira temporada não fez jus à nossa expectativa. Longe de ser uma série ruim, mas se em The Man in The High Castle (2015) -Obergruppenführer é mal: Pega um, pega geral [Crítica] você usa regularmente o comando de avançar 10 segundos, acompanhar a desventuras de John […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Sobre cinectus

Conta de Administrador do site cinectus

CATEGORIA

Criticas, TV & Series