O diretor Denis Villeneuve trouxe uma maneira bem diferente de retratar  um evento dessa magnitude (caso houvesse). Ao mesmo tempo que ele deixa os alienígenas como um link importante da narrativa, foca bastante na relação afetiva e emocional que a protagonista  Amy Adams apresenta no decorrer da história. 

O filme vem com uma poesia “infiltrada” que lembra algumas obras de Terrence Malick, sem perder a cara de grande produção: com efeitos especiais, explosão, nações do mundo conectadas, iminência de guerra, mas tudo isso fica como pano de fundo.

Eu particularmente não gosto dos filmes de Malick, pois são muito “poéticos demais da conta” beirando ao surreal, e por isso pode não agradar ao público que espera uma ficção científica com ação. Contudo,  Villeneuve consegue manter a atenção do início ao fim, apresentando um final surpreendente e um desfecho para pensar mesmo após os créditos.

A Chegada se parece em alguns momentos Contato, mas tem uma urgência de suspense blockbuster pouco comum em longas de ficção-científica profunda. Enquanto corre com o mistério extraterrestre, afinal, Villeneuve está na verdade discutindo a natureza da linguagem, das relações, da troca e do próprio cinema, brincando com a não-linearidade na montagem, da mesma forma como os aliens talvez percebam o tempo. Dessa forma, o filme ingressa desde já no seleto grupo dos poucos filmes de ficção-científica que conseguem efetivamente debater o que significa ser humano ao cercar-nos de desconhecido. (Omelete)

Nota: 8,0 (atendeu as expectativas)

Classificação: Drama, Mistério, Sci-fi

Filmes com certa semelhança:Contato” (1997), “Contatos Imediatos do Terceiro Grau” (1977), “O Dia em que a Terra Parou” (1951)

Publicado anteriormente em 17/10/2016:

A última vez que vi algo parecido, levando mais a sério um acontecimento dessa magnitude – caso ocorresse – foi em “Contato” (1997) com Jodie Foster, baseado no romance de Carl Sagan e com direção espetacular de Robert Zemecks. Espero que esse trailer não tenha entregue todo o filme, pois parece seguir uma linha semelhante de narrativa. O lançamento será em 10 de novembro aqui no Brasil.

Nota da Expectativa: 8.0

Anúncios

Participe da conversa! 2 comentários

  1. […] filme é muito bem dirigido por Denis Villeneuve (“A Chegada“, 2016) e o roteiro mantém o suspense do início ao fim, segurando o expectador por mais de […]

    Curtir

    Responder
  2. Republicou isso em cinectuse comentado:

    Atualização!

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Sobre cinectus

Conta de Administrador do site cinectus

CATEGORIA

Cinema, Criticas, Trailers

Tags

, ,